Notícias

Homenagem, brinde e boa música marcaram a live dos 100 anos da ACI

Homenagem, brinde e boa música marcaram a live dos 100 anos da ACI 20 OUTUBRO

A live em comemoração aos 100 anos da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI-NH/CB/EV), no último domingo, teve homenagem, brinde e boa música, atrações que puderam ser acompanhadas pelos presentes ao auditório da entidade, pelos integrantes do Conselho Deliberativo (Consed), pelos associados e pela comunidade em geral.

Na abertura, o presidente Marcelo Lauxen Kehl fez uma homenagem aos 28 dirigentes máximos da entidade nestes cem anos e destacou e a representatividade por ela construída pela. Citou conquistas em que a ACI-NH/CB/EV teve participação decisiva e destacou o profissionalismo da atual equipe da casa.

Na sequência, foi feito um brinde pelos presentes e integrantes do Consed e a dupla Luciano Leães & Luana Pacheco apresentou o show Chanson & Blues. O evento tem o patrocínio das empresas Campal Serviços Contábeis, Carburgo Volkswagen, Dimel Soluções para Embalagem, Killing S.A. Tintas e Adesivos, Laboratório Fleming, Objetiva Administradora de Condomínios, Sicredi Pioneira RS e Unimed Vale do Sinos.

Confira abaixo a íntegra do pronunciamento do presidente:

“Estamos todos aqui reunidos, pessoal ou virtualmente, para comemorar um fenômeno muito raro. Faz exatos 36.525 dias, 5.218 semanas, 1.200 meses, 100 anos, dez décadas e um século que, numa quinta-feira à noite, há duas quadras daqui, na Avenida Joaquim Nabuco, 848, foi fundada a nossa ACI. O então distrito de Novo Hamburgo (fazíamos parte de São Leopoldo), à época com 8.520 habitantes (o Brasil tinha 30 milhões), via surgir esta entidade que muito nos orgulha. E é muito raro, sim, um centenário como este. No Brasil, uma a cada 7 mil pessoas alcança esta marca, e com empresas e, principalmente, entidades, esta proporção é ainda menor.

Fundada por expoentes dos mais variados setores da sociedade, a entidade foi sempre vanguardista em suas ações. Atuou, desde seu início e sem desviar-se deste rumo até hoje, de forma ética na defesa da livre iniciativa, do empreendedorismo e do desenvolvimento social e econômico da região.

A ação faz parte do nosso DNA. Atuamos para ampliar a oferta de energia elétrica quando nossa indústria precisava dela, para que a telefonia fosse modernizada e estendida, para o asfaltamento de nossas estradas e na abertura de mercados para nosso calçado no exterior (fato este que alavancou, de forma extraordinária, a nossa economia), além de muitas outras ações nesta linha.

A representatividade é outra de nossas marcas registradas. Desde sempre, defendemos as demandas de nossos associados, específicas ou difusas, junto a todas as instâncias governamentais, empresas e órgãos públicos, alcançando resultados, quase sempre, favoráveis. E, mesmo quando sabemos ter poucas chances de sucesso agimos, pois, se algo está errado ou pode ser feito de uma melhor forma, não podemos nos omitir. É isto que nossos associados e sociedade ao nosso redor espera de nós.

Lembro também que temos outras duas aniversariantes a aplaudir: gestadas dentro da ACI e seguindo brilhantes carreiras solo. Ontem (dia 17) a Fundação Semear, que cuida da assistência social, completou 24 anos, e hoje (dia 18) a Fundamental, que cuida do descarte adequado de rejeitos sólidos, chega aos 22 anos. Parabéns as duas, às suas equipes e aos seus presidentes!

Homenageamos, agora, aqueles que foram os dirigentes máximos da entidade nestes 100 anos. Iniciando por Frederico Pechmann, foram 28 pessoas que, até hoje, lideraram a ACI. Vindos dos mais variados setores econômicos, com características pessoais diversas tiveram, em comum, a grandeza de ombrearem-se com seus pares e, ao lado destes, fazerem de nossa entidade a gigante que ela é hoje.

Saindo do passado e chegando ao presente, temos o atual Conselho Deliberativo, formado pelo presidente, pelos vice-presidentes e pelos presidentes das fundações, pessoas que doam seu tempo e sua expertise na busca de uma sociedade melhor, têm a tarefa de representar e de falar em nome de todos os associados, tomando as decisões que continuarão a construir uma entidade ainda mais forte.

E, ainda no presente, temos que falar, com orgulho, de nossa equipe. São 22 profissionais do mais alto gabarito, que atuam com excelência para encontrar as soluções para atender nossos mais de 1.000 associados de uma forma exemplar, eficaz e com muito calor humano.

Ao falar de todos estes que fizeram, e continuam fazendo, a ACI, quero enfatizar uma coisa. Quando vemos algo que vem de um passado tão distante e carrega uma história tão bonita, tendemos a romantizar as coisas, a perder a noção de como e por quem a história é construída. Pois estas pessoas todas foram, e são, gente como a gente. Com problemas pessoais, de saúde, de tempo e de dinheiro. O que diferencia quem faz a história de quem é levado por ela é o fato de terem, cada um ao seu tempo, vencido suas limitações, seus problemas e suas desculpas para, cada um com sua singularidade, cimentar ao menos um tijolo neste grandioso edifício metafórico que é nossa entidade.

Para parabenizar a todos trago a frase que nosso diretor, Marco Aurélio Kirsch, usou em documento de agradecimento que enviou a toda a equipe: “Porque ninguém nesta casa está de passagem pela vida, mas sim deixando marcas e memórias para um legado de ouro”. Este é o nosso time.

Um especial agradecimento aqueles que patrocinam a nossa festa: Campal Serviços Contábeis / Carburgo Volkswagen / Dimel, Soluções únicas como seus produtos / Killing SA, Tintas e Adesivos / Laboratório Fleming / Objetiva Administradora de Condomínios – especialista no que faz / Sicredi Pioneira RS e Unimed Vale do Sinos. É muito bom poder contar com vocês, e saibam que nosso sucesso é o vosso.

Bem, como todos que me conhecem sabem, a única coisa que gosto mais do que de falar é de festa. Então vamos a ela! Convido agora o nosso conselho deliberativo para o brinde!

Agora, depois desta bela festa, tenho que me gabar, em nome da ACI e de todos que fazem e fizeram parte dela: chegar ao centenário com esta vitalidade, estrutura, relevância e representatividade não é para qualquer um! E amanhã tem início o caminho para o sesquicentenário, para o bicentenário. E, se alguém me perguntar como posso pensar tão longe, respondo que, há exatos 100 anos, enquanto ajudava a dar à luz a nossa ACI, certamente alguém pensou neste dia de hoje.

Muito obrigado pela participação e um grande e fraterno abraço a todos!”

Fonte: Assessoria ACI-NH/CB/EV