Notícias

Fábrica Conceito terá mais destaque na Fimec 2018

Fábrica Conceito terá mais destaque na Fimec 2018 30 JANEIRO

No último dia 23, aconteceu na Fenac, em Novo Hamburgo/RS, uma coletiva durante a qual foram divulgadas para a imprensa as novidades mais impactantes da 9ª edição do projeto Fábrica Conceito, que acontecerá de 6 a 8 março, durante a 42ª Fimec.

O projeto é uma realização conjunta entre o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC), a Fenac Centro de Eventos e Negócios e a Coelho Assessoria Empresarial.

A proposta é mostrar aos visitantes da feira máquinas, equipamentos, processos e componentes inovadores sendo usados em tempo real, como acontece em uma indústria de calçados. Além dos dirigentes das instituições realizadoras, participaram da mesa oficial representantes dos apoiadores (Abicalçados/Projeto Sola e CT Calçado/Senai) e também das empresas parceiras desta edição Ramarim e Kildare.

O diretor-presidente da Fenac, Márcio Jung, ressaltou a importância da feira, que a cada edição traz conteúdo ainda mais relevante para o setor, e enfatizou o novo espaço destinado ao projeto. “Nesta edição, a Fábrica Conceito estará em uma área com mais destaque, logo na entrada da feira, por onde todos os visitantes que buscam as novidades em inovação e tecnologia passarão”, revelou.

O presidente executivo do IBTeC, Paulo Griebeler, destacou que as expectativas são otimistas, tanto para o projeto quanto para a feira, que na sua avaliação deve confirmar a retomada dos investimentos do setor calçadista. “Além do viés ambiental e social, que já é uma característica da Fábrica Conceito, mostraremos nesta edição novidades muito importantes em inovação, tecnologia, conceito de indústria 4.0 e produtividade”, sintetizou.

Luis Coelho, da Coelho Assessoria Empresarial, comentou sobre a importância da fábrica ser um local para a apresentação de novos conceitos na fabricação de calçados. “Cada edição traz novos desafios e oportunidades para nos superarmos, e para isso buscamos parcerias com entidades e empresas que possam trazer o que há de melhor para a feira, para o projeto e, principalmente, para o setor”, considerou.

O presidente da Abicalçados, Heitor Klein, elogiou a transferência do projeto para uma área nobre da feira. “É um espaço que teria um valor comercial elevadíssimo e, no entanto, foi ofertado para que a fábrica tivesse uma visibilidade ainda maior”, enfatizou.

O consultor da Abicalçados, Igor Hoelscher, comentou sobre o Projeto Sola, que possibilita o controle e monitoramento das informações sobre todos os processos realizados. “O ponto fundamental desse sistema está na qualidade e na velocidade da entrega de dados, conectando desde o fornecedor de insumos para a indústria até o ponto de venda ao consumidor, com a garantia da rastreabilidade em tempo real”, contextualizou.

O coordenador técnico do IBTeC, Paulo Model, enfatizou que um dos grandes desafios é a realização do processo de injeção direta em duas linhas de calçados ao mesmo tempo (um modelo masculino e outro feminino). “O processo já está em teste, na cidade de Franca, para que tudo possa dar certo em março, durante a feira”, revelou.

Maurício Klein falou em nome da Kildare. Ele lembrou que a tecnologia tem provocado mudanças no comportamento dos consumidores e também nos modelos produtivos, e que o projeto será uma grande vitrine para a marca.

Representando a Ramarim, que é a parceira na fabricação dos calçados femininos, Renata Rodrigues observou que a empresa busca sempre a atualização tecnológica e acredita muito neste modelo de parceria.

A diretora do Instituto de Tecnologia do Calçado de Novo Hamburgo, Arlete Accurso, ressaltou que o projeto é uma oportunidade de demonstrar ao setor calçadista a qualidade na formação dos aprendizes do Senai. “Em torno de 30 menores aprendizes trabalharão na linha de produção de uma sapatilha da Ramarim e o trabalho deles será visto por empresários e profissionais do setor", comentou.

 

Detalhes sobre a Fábrica Conceito 2018

Modelos de calçados que serão produzidos

 

  • O projeto que reunirá 70 empresas, 90 máquinas e será operada por 70 operários.
  • Este ano, as marcas parceiras na produção dos calçados serão a Ramarim (calçados femininos), e Kildare (calçados masculinos).
  • A meta é produzir 3.000 pares de calçados durante os três dias da feira.
  • Serão seis linhas de montagem, de onde se produzirão nove modelos de calçados (duas sapatilhas, quatro scarpins, uma bota feminina e dois modelos de sapatênis masculinos).
  • Dentre as linhas de produção, uma será integralmente composta por alunos do Senai, que montarão em torno de 1.000 pares de sapatilhas femininas.
  • Outra linha terá um alto nível de automação e controle dos processos, através de softwares desenvolvidos para fornecer todas as informações necessárias aos gestores de produção.
  • Será destaque também uma máquina de corte automático que reconhece os desenhos das peças a serem cortadas.
  • Materiais e componentes inovadores e sustentáveis serão utilizados.
  • O Projeto Sola (Sistema de Operações Logísticas Automatizadas) da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apresentará processos que reduzem os custos, integram ações, permitem rastreabilidade, possibilidade de crossdocking e reposição automática, controle e organização para gestão dos negócios e inventário em tempo real.
  • Os modelos produzidos no projeto serão avaliados pelo Laboratório de Biomecânica do IBTeC quanto ao conforto oferecido ao usuário.
  • Parte da produção será destinada a instituições de assistência a pessoas em situação de vulnerabilidade social.
  • A fábrica selecionará em torno de 40 trabalhadores desempregados para atuarem no projeto. O histórico do projeto tem mostrado que boa parte desses trabalhadores conseguem agendar entrevistas de emprego a partir desta participação.